Por Gabriel Luiz, TV Globo

 


Ex-senador Luiz Estevão chega para depoimento na 10ª Vara Federal, em Brasília, nesta quarta — Foto: TV Globo/ReproduçãoEx-senador Luiz Estevão chega para depoimento na 10ª Vara Federal, em Brasília, nesta quarta — Foto: TV Globo/Reprodução

Ex-senador Luiz Estevão chega para depoimento na 10ª Vara Federal, em Brasília, nesta quarta — Foto: TV Globo/Reprodução

A Justiça do Distrito Federal negou neste sábado (21) um pedido do senador cassado Luiz Estevão para cumprir pena em casa, em decorrência da pandemia do coronavírus. O empresário cumpre pena no regime semiaberto – que prevê o trabalho externo durante o dia, com a condição de voltar para a cadeia à noite.

No processo, a defesa argumentou que o ex-senador já tem 70 anos e faz parte do grupo de risco da doença. O pedido era para que "durante o período que durar a pandemia, seja permitido que o apenado pernoite em sua residência, comprometendo-se, desde já, a observar o trajeto residência-trabalho-residência, sem qualquer desvio".

No entanto, no entendimento da juíza Leila Cury, da Vara de Execuções Penais, trata-se de um "homem saudável e que não aparenta a idade biológica, não obstante necessite de todos os cuidados que devem ter todas as demais pessoas".

Para a juíza, já foram tomadas medidas de prevenção ao coronavírus voltadas aos presos com mais de 60 anos (veja mais abaixo). Por isso, ela afirma que este é um "momento de cautela e prevenção" e que não cabe abrir uma exceção para o ex-senador.

"Sua vulnerabilidade não difere daquela inerentes aos demais internos idosos alocados em estabelecimentos prisionais do DF, os quais são foco de medidas específicas de prevenção", escreveu.